16:13:37

 

Seja sempre bem-vindo (a) e aproveite para visitar nossas outras páginas


Curiosidades

Curiosidades: qualidade do que é curioso. Vontade de ver, de conhecer: satisfazer sua curiosidade. Desejo de conhecer dos segredos, dos negócios alheios; indiscrição: sua curiosidade foi castigada.Gosto, paixão por coisas raras, originais.

Casa do Caralho

Segundo a Academia Portuguesa de Letras, caralho é a palavra com que se denominava a pequena cesta que se encontrava no alto dos mastros das caravelas, de onde os vigias perscrutavam o horizonte em busca de sinais de terra.
 
O caralho, dada a sua situação numa área de muita instabilidade (no alto do mastro) era onde se manifestava com maior intensidade o rolamento ou movimento lateral de um barco.
 
Também era considerado um lugar de castigo para aqueles marinheiros que cometiam alguma infracção a bordo.
O castigado era enviado para cumprir horas e até dias inteiros no caralho e quando descia ficava tão enjoado que se mantinha tranquilo por um bom par de dias. Daí surgiu a expressão: -Vai pro caralho!
 
Hoje em dia, caralho é a palavra que define toda a gama de sentimentos humanos e todos os estados de ânimo. Ao apreciarmos algo de nosso agrado, costumamos dizer: CARALHO !!!

a BUNDA

Os responsáveis pela bunda como é conhecida na atualidade, e aí se refere ao conceito contemporâneo de bunda, ou seja, a bunda como ela é, são os africanos, mais especificamente os angolanos e os cabo-verdianos e para ser ainda mais preciso, as angolanas e as cabo-verdianas.
 
Foram elas, angolanas e cabo-verdianas, que, ao chegarem aqui durante as trevas da escravatura, revolucionaram tudo o que se sabia sobre bunda até então.
 
Foi assim: naquela época, a palavra bunda não existia. Os portugueses, quando queriam falar a respeito das nádegas de uma cachopa, diziam, exatamente isso, nádegas, ou região glútea, tanto faz.
 
Aí, os escravos angolanos e cabo-verdianos chegaram ao Brasil. Só que eles não eram conhecidos como angolanos nem cabo-verdianos, eram os bantos chamados bundos, que falavam o idioma "ambundo". Ou "quimbundo". A língua bunda, enfim.
 
Os bundos, esses, em especial as mulheres bundas, possuíam a tal região glútea muito mais sólida, avantajada e globosa.
 
Os portugueses, que, ao contrário do que se acredita, não são bobos, logo encompridaram os olhares para as nádegas das bundas. Uma delas passava diante de uma turma de portugueses e eles já comentavam: - Que bunda!
 
Em pouco tempo, a palavra bunda, antes designação de uma língua e de um povo, passou a ser sinônimo de nádegas.
E assim nasceu a bunda moderna.
 
Fonte: "Instituto Internacional de Macau"

Samurai Jack corta a bala

Aceita uma Cerveja, um Café, ou tudo junto?

Soluções simples e inteligentes

Para selecionar os vídeos abaixo clique em ☰ (playlist) lado superior do player, ou use os botões para avançar.  
MOBILE

#studiomisturafina 
CURIOSIDADES DIVERSAS

 

a "Bunda"

Os responsáveis pela bunda como é conhecida na atualidade, e aí se refere ao conceito contemporâneo de bunda, ou seja, a bunda como ela é, são os africanos, mais especificamente os angolanos e os cabo-verdianos e para ser ainda mais preciso, as angolanas e as cabo-verdianas.

 
Foram elas, angolanas e cabo-verdianas, que, ao chegarem aqui durante as trevas da escravatura, revolucionaram tudo o que se sabia sobre bunda até então.
 
Foi assim: naquela época, a palavra bunda não existia. Os portugueses, quando queriam falar a respeito das nádegas de uma cachopa, diziam, exatamente isso, nádegas, ou região glútea, tanto faz.
 
Aí, os escravos angolanos e cabo-verdianos chegaram ao Brasil. Só que eles não eram conhecidos como angolanos nem cabo-verdianos, eram os bantos chamados bundos, que falavam o idioma "ambundo". Ou "quimbundo". A língua bunda, enfim.
 
Os bundos, esses, em especial as mulheres bundas, possuíam a tal região glútea muito mais sólida, avantajada e globosa.
 
Os portugueses, que, ao contrário do que se acredita, não são bobos, logo encompridaram os olhares para as nádegas das bundas. Uma delas passava diante de uma turma de portugueses e eles já comentavam: - Que bunda!
 
Em pouco tempo, a palavra bunda, antes designação de uma língua e de um povo, passou a ser sinônimo de nádegas.
E assim nasceu a bunda moderna.
 
Fonte: "Instituto Internacional de Macau"